Vivendo encurralados, entre os rios São Francisco e o Verde grande, os vazanteiros da Comunidade Pau Preto, hoje ameaçados e na eminência de serem expulsos pela implantação do Parque Estadual Verde Grande no município de Matias Cardoso Norte de Minas ,vem se organizando e lutando pela garantia de seus territórios tradicionais. Ao longo do tempo vem se afirmando como comunidade tradicional e buscando apoio para manutenção de suas práticas culturais e produtivas, inseridas numa luta mais ampla por reconhecimento dos direitos territóriais, saberes e fazeres que os vinculam ao Rio São Francisco os “ Vazanteiros em Movimento” tem se fortalecido pela articulação entre as comunidades quilombolas e vazanteiras.

Nos últimos anos, vem realizando reuniões,seminários e audiências na tentativa de negociação junto ao Estado de Minas Gerais, buscando caminhos institucionais no sentido de viabilizar a permanência das famílias no território Vazanteiro ás margens do rio São Francisco.
Cansados de esperar pela efetivação da proposta de constituição da Reserva de Desenvolvimento Sustentável, em curso com o apoio da Promotoria da Bacia do São Francisco, e por todo descaso com o rio São Francisco e com seus povos, que vem sofrendo com tanta degradação de suas lagoas, matas e ilhas, no dia 24 de Julho de 2011, as famílias retomaram seu território, ocupando a Ex-sede da Fazenda Catelda que estava abandonada há mais de 15 anos.

Constituíram aí o Acampamento Vazanteiro Arraial do Meio, e dando início à autodemarcação de seu território.

Posteriormente criadores de gada das margens do rio Verde Grande dos municípios de Malhada Bahia e Matias Cardoso Norte de Minas, vem insistindo na criação de gado ilegalmente no território dos vazanteiros.

Esta situação vem causando danos ambientais irreparáveis,além da destruição das lavouras dos vazanteiros. Vejam a ousadia desses criadores de gado; entraram na Justiça da Comarca de Manga pedindo a manutenção da Posse alegando uso da mesma por mais de vinte anos. No dia 07 de Março de 2012, a Juíza concedeu Liminar favorável aos mesmos. Recorremos e a Liminar foi suspensa.

No Dia 04 de Maio de 2012, os vazanteiros do Acampamento Arraial do Meio soltaram o grito de liberdade “ TERRITÓRIO LIVRE VAZANTEIROS LIBERTOS”. Mas para garantir esta liberdade, juntaram as forças e novamente retornaram a reocupar seu território e desta vez homens, mulheres, Jovens, crianças e idosos participaram de mutirões para levantar as cercas de proteção de suas roças e colocaram para fora do seu território cerca de 750 cabeças de gado.

No momento em que os vazanteiros agradeciam a DEUS por mais uma vitória, uma Senhora dizia: “Agora temos a certeza, de que não vamos mais continuar debaixo dos pés dos bois. Mas, com os nossos próprios pés, vamos garantir o sustento de nossos filhos e parentes.

Associação dos Vazanteiros Extrativista de Pau Preto

Zilah de Mattos – Comissão Pastoral da Terra Norte de Minas.

Matias Cardoso, 16 de Maio de 2012

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Anúncios