Vazanteiros se reúnem com a Promotoria Pública e com o Instituto Estadual de Floresta (IEF), para discutir a situação das três comunidades norte mineiras ribeirinhas ao rio São Francisco, Pau Preto, Lapinha e Pau de Légua, lesadas de seus direitos com a criação dos Parques Estaduais do Verde Grande, Cajueiro e Mata Seca a partir de 1998.

Em julho deste ano, as famílias das três comunidades, do município de Matias Cardoso, retomaram a ex-sede da Fazenda Catelda e deram início à autodemarcação da RDS. Já estavam cansados de esperar. Neste contexto, do plano da memoria, a comunidade de Arraial do Meio, destroçada pelos fazendeiros durante a década de 1970 – com a cumplicidade da RURALMINAS – ressurge com o apoio de Zilah da CPT, das pesquisadoras Felisa e Claudia Luz e de uma ampla rede de solidariedade. É quando os vazanteiros, com o acampamento, renomeiam – agora com o nome de Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Arraial do Meio. Uma luta dos Vazanteiros que, em Movimento, reagem frente à negligência do Estado em efetivar as propostas que estavam em curso.

Desde então as três comunidades estão unidas, dialogando junto às instâncias responsáveis e executando os seus propósitos.

Para assistir as entrevistas na íntegra

entrevista com a Promotora Pública Ana Heloísa


Vazanteiros em Movimento_entrevista com Mauro Lúcio do Instituto Estadual de Floresta (IEF)

Anúncios